17 fevereiro 2015

Não exija muito de você


Oi gente, hoje eu vou fazer um conselho de amiga onde eu compartilho uma experiência minha (^-^) e o que vou falar hoje é muito importante.


Quando comecei a fazer aulas de canto, que sempre foi o meu sonho, eu tinha dezessete anos e deveria estar pensando em faculdade, futuro e estágios, mas não, eu decidi me entregar de vez á música.

Eu vi aquelas aulas como se fosse Deus me dando um sinal verde para eu deixar o meu racional de lado e seguir o meu sonho de infância.

Como eu não tinha dinheiro e quem estuda ou já estudo canto sabe, nessa área qualquer curso que seja é muito mais caro do que de outras áreas. Na época uma aula por semana de uma hora saia R$1500,00.

Mas quando tudo aconteceu eu encontrei um professor de canto lirico que também tinha o sonho de cantar e só conseguiu fazer técnica vocal quando tinha 23 anos, também por falta de renda.

Então ele decidiu me dar aulas de graça e ele também dava aulas para um coral (que eu também fazia parte), então combinamos que eu chegaria meia hora mais cedo e faria vocalises.

Era coisa simples, nos vocalises você aplica a técnica, mas como não tínhamos tempo, ele me ensinava técnica nos vocalises.

Passou dois anos e meio, minha vida mudou, eu já tinha o Hey Tutty!, tinha um problema na mandíbula e também já tinha assinado contrato com a Amazon e nessa mesma época ele lançou cd e saiu pra divulgar.

Três meses mais tarde eu fui para a igreja e lá eu arrumei á preço de banana alguém que me desse aulas de canto popular, mas só para você entender, no canto lírico nós jogamos a voz na parte de trás da cabeça, quando está bem impostada vibra onde termina a mandíbula e no canto popular impostamos a voz na frente, quando estamos cantando vibra o nariz e a região da frente do rosto.

Por que resenhei tudo isso? Porque quando chegou a hora de aprender a jogar a voz na frente eu não conseguia nem fazendo reza braba. Quantas vezes eu chorava de me esbugalhar na aula porque não conseguia fazer vibrar nada com nada quando saia da região lirica.

Acabou que essa frustração virou objetivo e de objetivo virou uma tara perfeccionista e eu comecei a ficar tão louca que quando não conseguia eu saia gritando e jogando tudo longe (isso em casa claro, não fiquei tão insana a ponto de fazer isso na aula).

Mas o fato é que quando exigimos muito, mas muito mesmo, da gente em algo, corremos o risco de enlouquecer quando percebemos que o ser humano não é capaz de ser tão perfeito.

Então sempre tente fazer o seu melhor, mas aceite os seus limites, todos temos limitações e isso é normal porque NENHUM ser humano é perfeito. Quando perceber a insanidade chegando pare tudo e relaxe.

Só para concluir a história, meses mais tarde saí da igreja, dei essa nova guinada na minha vida, fiz as pazes com o meu racional e vi que nem tudo depende só de Deus e quando decidi que cantar ficaria para depois e que arrumaria bastante tempo para me aperfeiçoar eis que por indicação de um amigo eu arrumo outra professora de canto popular.

Mais relaxada e de bem com a vida eu fui tentar cantar e, como dessa vez as aulas não estavam ligadas a nenhum trabalho, ela me mandou parar na hora e cantar uma música que eu gostasse e que eu ficasse confortável cantando e eis que a mágica aconteceu.

Eu senti toda a frente do meu rosto vibrar e a voz saiu com aquele metálico que dá quando conseguimos impostar a voz no nariz. Agora já fazem cinco meses desde o ocorrido e eu consigo jogar a minha voz onde quero.

Ou seja, bastou eu relaxar, aceitar o processo e perceber que eu nunca vou ser perfeita que tudo fluiu. Ás vezes alguma coisa que você quer muito está dando errado porque você fica forçando e quer ser perfeita. Relaxe e se adapte, não surte e não exija muito de você.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE A URL DO SEU BLOG. Ás vezes eu demoro para responder por conta da faculdade. Seja respeitoso, caso contrário, o seu comentário será excluído! Obrigada pela visita :)