10 setembro 2016

Eu sofri bullying - Um alívio



*Com essa série de posts eu tenho a intenção de mostrar como o preconceito mexe com a gente de uma maneira que é irreversível e, portanto, a pena de 2 anos para quem comete crimes contra a honra é muito pequena.

Era o início de um novo ano e agora eu só queria passar despercebida, pedi para largar a escola, mas a minha mãe disse que primeiro, era contra a lei e, segundo, ela não me teve para eu passar fome.

Leia o post e comente sobre ele, caso contrário, o seu comentário será excluído.

A nova escola era bem pequena já que no ano anterior eu tinha desenvolvido um trauma com exatas e agora não conseguia fazer uma prova de matemática sem tomar calmantes antes.

Realmente ir para uma escola menor me fez bem, na minha sala eu não sofria bullying, mas na hora do intervalo os alunos das séries mais avançadas me zoavam muito.

Eles jogavam meus cadernos e meu casaco no vaso sanitário e as pessoas da nova escola simplesmente ignoravam isso.

Para piorar eu só tinha um "amigo" que depois de uns meses disse que eu parecia uma miserável andando atrás dele sempre e me mandou ir para outro canto.

Eu estava destruída demais para colocá-lo no lugar dele, então simplesmente me afastei e quis ficar isolada do resto dos alunos, o que não era muito difícil, já que a minha mãe não me deixava ir em lugar nenhum e fazia questão de me levar e me buscar no colégio todos os dias.

Ela sabia do bullying e até sugeriu que eu comprasse um fichário para deixar as folhas em casa e só levar algumas para anotar o conteúdo das aulas.

Mas agora que eu tinha sido expulsa tudo era diferente, ninguém quer ouvir o seu lado da história, as pessoas estão pouco se ferrando porque você não passa de uma criança grande e é inaceitável quebrar a perna de alguém, mesmo que antes disso a pessoa tivesse tentado te jogar da mísera escada.

Logo as garotas da minha sala começaram a me zoar porque eu não me arrumava e mais parecia um menino com o órgão genital de uma menina.

Mas eu já tinha sofrido tanto que isso não importava mais, então tudo aconteceu em questão de semanas, eu conheci um garoto incrível e descobri que juntos e sozinhos eu poderia deixar o meu passado para trás.

Com ele eu não sentia vergonha de quem eu era, não me sentia mais um verme e também descobri que o que eu queria era amizade colorida e não namoros.

Eu era tão insensível, nessa época, que todo aquele "mimimi" de namorados me enjoava, eu queria só alguém que fizesse eu me sentir bem, mas que fora do quarto (no caso, da biblioteca) nós não tivéssemos compromisso algum.

Na mesma época os meninos que faziam bullying comigo saíram da escola e as garotas passaram a me "aceitar" quando perceberam que eu não ligava para nada que elas diziam.

Nessa época eu comecei a ir para uma igreja evangélica e todo o vazio que eu sentia, até então, foi preenchido por Deus e eu estava vivendo o "primeiro amor".

Eu não me importava em acordar cedo, tipo cinco horas da madrugada, para ir para a igreja, porque Deus virou o meu foco.

Eu fiquei muito triste porque estávamos passando por outra crise financeira e só tínhamos dinheiro para comprar uma bíblia e minha mãe se apoderou desta.

Eu queria viver para Deus e comecei a sentir culpa pelo meu amigo colorido, mas Deus era o meu refúgio em todas as áreas e aquele garoto era o meu refúgio para a minha frieza.

Quando eu estava perto dele eu deixava as emoções fluírem e quando eu saía da biblioteca eu me transformava de novo em uma pessoa fria e dura.

Os meus professores interpretavam isso como lábia excessiva e esperteza fulgás, não lembro quantas vezes eu fui para a diretoria porque eu falava o que sentia sem hesitar e muitas vezes isso magoava os outros.

Na igreja eu me deixava ser apenas uma menina também porque estava ali por Deus, mas quando alguém tentava se aproximar eu me fechava.

Assim foi a minha vida por dois anos e eu era feliz, conseguia escapar do meu passado duas vezes por dia e eu não ligava mais para o fato de não ser popular ou milionária.

¤ Os nomes foram modificados


Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE A URL DO SEU BLOG. Ás vezes eu demoro para responder por conta da faculdade. Seja respeitoso, caso contrário, o seu comentário será excluído! Obrigada pela visita :)